Nossa casa diz muito sobre nosso estilo de vida e para essas pessoas, suas casas são praticamente um projeto à parte. Ter o prazer de construir casas, muitas vezes com as próprias mãos, faz parte da experiência.

Morar em numa casa no campo, cheia de janelas para que o sol entrasse em casa por todos os lados, todos os dias. Esse foi o sonho de Lilah Horwitz e Nick Olson, no seu primeiro encontro, durante uma viagem às montanhas.

Um ano depois, lá estavam eles, morando no lugar onde tudo começou, em uma casa de madeira simples e uma parede composta só por janelas.

Half Cut Tea . com | Nick Olson & Lilah Horwitz from Matt Glass on Vimeo.

Este fotógrafo que viaja bastante, precisava apenas de um apartamento confortável e bem localizado. Transformou o sótão do prédio em um micro loft que se adapta às necessidades do dono:

Jay Shafer, fundador da empresa Tumbleweed Tiny House Company e da Four Lights Houses preferiu levar a casa para onde ele está. Ele viveu boa parte da vida em seus trailers, melhorando, reformando até que se casou e teve filhos.

Daí, resolveu criar as empresas para dar continuidade à sua paixão e compartilhar com outras pessoas, já que para ele conforto não está ligado ao tamanho da casa, mas sim à sua funcionalidade nos detalhes. Escreveu um livro sobre a experiência.

Construir casas pra quê? Viaje nelas!

No total oposto, o artista plástico Carlos Páez Villaró criou uma mansão encrustada na rocha, de frente para o mar, em Punta Ballena, Uruguai. A casa também funciona como museu, restaurante e hotel.

O projeto começou em 1958 quando ele construiu um cômodo feito de latas e revestido com ripas de madeira de navios naufragados. Depois passou a acrescentou cimento e cal, a casa se tornou um perfeito contraste com o céu e o mar. Dentro da casa, casa cômodo tem mosaicos e estilos feitos à mão, que vão mudando entre as vielas dos corredores, como se fosse um organismo vivo que vai mudando com o tempo.

Já pensou em viver assim? Vá viver seus sonhos! No Brasil não faltam lugares para se inspirar a morar lá. Há venda de imóveis em Campo Grande MS, por exemplo, em regiões muito bonitas e com cachoeiras (bairro José Abrão) e também em frente a parques urbanos, de frente pro pôr-do-sol, assistindo as araras revoarem o céu da capital.

Comentários

Comentários