Se você estiver seguro do curso que irá fazer – se vai se tornar médico, advogado, engenheiro, jornalista, enfermeiro, e tantas outras profissões tão necessárias e importantes, o passo seguinte é pesquisar bem onde vai fazer esse curso.

Pense bem no seguinte fato: você irá passar no mínimo 4 anos nessa universidade, e ao sair dela, precisará estar preparado para um mercado exigente, combativo e totalmente desconhecido para você. Você terá feito os estágios necessários, terá estudado as disciplinas certas e feito as horas complementares da forma correta? Sua grade irá abranger as tantas áreas da sua profissão? Os laboratórios terão fornecido a estrutura para o melhor aprendizado? São muitas questões que estão em jogo nessa escolha.

O Brasil hoje tem um leque imenso de universidades federais, estaduais e particulares, cada uma com um tipo de foco, estrutura e grade. As opções são muitas e a obrigação do aluno é pesquisar bem e pensar se aquela graduação lhe atende em tudo que precisa. Porém, há um estigma de que as universidades públicas são superiores, pois muitas vezes são mais concorridas e possuem corpo docente mais qualificado, pela questão do incentivo à pesquisa nas mais variadas áreas.

Nem sempre isso é verdade. Hoje no país existem cursos de medicina, por exemplo, que são igualmente concorridos nas particulares e nas públicas. Isso em razão de uma mistura de diferentes perfis de estudantes, busca por laboratórios mais modernos e completos e uma avaliação rígida do MEC no que diz respeito à qualidade dos cursos. Por isso, em primeiro lugar, avalie o que a faculdade pode te oferecer ao sair para uma vaga no mercado, na hora de fazer sua escolha.

Comentários

Comentários