Fugir do caos das grandes cidades nunca foi novidade para quem convive com ele. Pelo menos uma vez na vida você já quis sair correndo para fazer as malas e sumir dali. Não porque a situação era extremamente desagradável, ou era? Talvez. Mas verdade seja dita, quem trabalha em frente ao computador sabe muito bem como é a sensação de ter uma paisagem linda, a foto do mar ou daquele pôr do sol maravilho.

Ver o álbum do seu amigo de férias pode ser torturante, não é inveja, muitas vezes é até admiração. Caramba que lugar legal!  Imagina passar uma semana lá, um mês! Quem sabe morar lá, tchau emprego, tchau tudo! Se você for uma pessoa saturada com a rotina, vai entender muito bem esses sentimentos.

Mas por mais longe que nossa cabeça viaja nesse momento, nosso corpo fica ali parado em frente ao computador. Alguns chegam a sentir até o cheiro de terra molhada, mas é na imaginação mesmo. Logo depois eles voltam ao trabalho, afinal não se pode perder muito tempo olhando para uma foto.




Mas saiba que existe muitas pessoas que levaram esse momento de reflexão a sério, eles realmente disseram tchau emprego, tchau tudo! Trocaram a rotina exaustiva pelo cheiro de terra molhada. E mais uma vez alguém roubou nossa admiração. Confira dicas para mudar de vida e conheça histórias de pessoas que largaram a vida da cidade por áreas rurais, sítios ou fazendas.

Primeira família

A mineira Manuella Melo Franco resolveu se mudar com o marido Hugo Ruax quando estava grávida de sete meses da filha Nina, a segunda filha do casal. Cansados dos gastos excessivos na cidade eles revolveram vender o carro, e os móveis da família, juntaram o dinheiro e buscaram uma fazenda a venda em Chapada Diamantina (BA), depois isso se mudaram. Lá eles começaram uma vida autossustentável onde ensinaram o filho Tomé de dois anos a construir uma vida longe do consumismo exacerbado.

Hoje Manuela conta como venceu as dificuldades para se adaptar a vida do campo, acessando o blog “Notas Sobre uma Escolha” você confere como a família está levando a vida junto com sua família.

Segunda Família

Marinaldo Pegoraro e sua mulher Cilmara




Cansados de viver com medo da violência na cidade grande Marinaldo decidiu se mudar para um sítio no interior de Minas Gerais, ele e a mulher chegaram a proibir a filha de sair do condomínio devido à violência do local. Depois de viver onze anos em Curitiba a família se organizou em 13 dias para realizar a mudança. Hoje eles vivem da plantação de morangos e hortaliças.

Em Mato Grosso do Sul é comum encontrar alguém que deixa a vida na capital Campo Grande para viver em um sítio ou fazenda no interior.  Mesmo a cidade oferecendo ótimas casas para aluguel há quem deseja a solução mais radical, comprar fazenda ou sítios e recomeçar a vida de uma maneira autossustentáveis.

Se você ficou interessado nessas soluções confira os documentos para alugar imóvel e comprar loteamentos,  ou aluguel Campo Grande. Pesquisar sobre esses lugares já um começo.

 

Comentários

Comentários